A natureza contra-ataca

Preço sob consulta
. Comprar  
Autora: Maria Alice Aguiar
Ilustradora: Michelle Behar


Com uma linguagem bem-humorada, a autora relata os problemas ambientais de uma cidade indefinida no tempo e no espaço, abordando o equilíbrio ecológico e a cadeia alimentar.

 
ISBN: 978-85-88600-79-9
Nº páginas: 20
Formato: 17x25  cm
Idade: 8 a 10 anos
Coleção: 
 


ATIVIDADES SUGERIDAS

 

Temas abordados: equilíbrio ecológico, cadeia alimentar, doenças, relação homens/animais.

 

- A história se inicia mostrando uma pessoa afetada por uma doença. Esta doença é causada por um mosquito. Pesquisar em jornais, revistas e enciclopédias.

- Promover um debate sobre as doenças pesquisadas e as formas de combatê-las.

- Incentivar a pesquisa, principalmente sobre as doenças transmissíveis mais comuns em sua região.

- Registrar as conclusões sobre os meios de prevenção através de cartazes e panfletos a serem distribuídos na comunidade, definindo ações para a saúde coletiva.

- Na história, os mosquitos foram eliminados através de produtos químicos. Levantar uma discussão a esse respeito e também sobre a utilização de produtos para eliminar pragas nas plantações e suas conseqüências para as pessoas.

- Instigar a discussão sobre a intervenção do Homem durante a história, a fim de resolver os problemas que surgiram (causa e efeito); propiciar a compreensão da relação existente entre os seres vivos e o equilíbrio da natureza.

- Questionar sobre a relação existente entre os animais da história e os fatos decorrentes da interrupção dessa relação.

- Incentivar a pesquisa sobre cadeias e teias alimentares no próprio ambiente e em outros contextos ilustrados em livros e vídeos.

- Oportunizar a vivência das relações alimentares através de jogos, como: listar vários animais de acordo com o número de crianças, para que cada criança confeccione uma máscara de seu animal. O grupo todo, cada qual com sua máscara, brinca de "pegador": cada animal tenta pegar sua presa e, ao mesmo tempo, foge de seu predador; ao pegar sua presa fica agarrado nela e ao ser pegado não pode mais fugir. Quando todos estiverem presos analisar as ligações construídas e perceber que alguns animais sempre são predadores e outros presas.

- Após a brincadeira, quantificar presas e predadores, percebendo que alguns exercem os dois papéis.

- Propiciar a reflexão e discussão sobre a existência de animais considerados peçonhentos e sua função no equilíbrio da natureza (na história a questão se apresenta: "...para que é que serve lagarto na natureza?").

- Incentivar a pesquisa em jornais e revistas de exemplos de fatos que ilustram o "contra-ataque" da natureza, identificando as ações do Homem, interpretando as informações através do estabelecimento de relações de causa e efeito, dependência, sincronicidade e sequência.

- Incentivar, também, a busca e coleta de informações através de entrevistas e observação direta de casos próximos ao contexto escolar.

- Auxiliar na organização do registro de informações através de desenhos, tabelas e gráficos.

- Durante a leitura do texto, instigar a percepção de que no interior dos parágrafos existem rimas. Incentivar o levantamento das mesmas.

- Propor a construção de textos coletivos que registrem as situações pesquisadas ou os conhecimentos adquiridos, seguindo o exemplo de construção de texto da autora.

TEXTO QUE PODE AUXILIAR SEU TRABALHO, PROFESSOR:
- PREZOTO, Fábio e PREZOTO, Helba Helena Santos Prezoto. Que mosquito é este? Aedes aegypti. Franco Editora.
AGUIAR, Maria Alice. O mundo encantado. Franco Editora.

Veja também