A primeira vez no circo

R$ 38,00
ou 3 x R$ 12,67
. Comprar  
Autora: Iris Borges
Ilustradora: Tati Rivoire


Nair, com apenas cinco anos, teve seu primeiro contato com o circo. Surpresa, magia, coração batendo mais forte, um olhar de espanto e um sorriso nos lábios. E, para sempre, uma impressão agradável marcada em seu coração!


ISBN: 978-85-7671-191-9
Nº páginas: 16
Formato: 20x30 cm
Idade: 6 a 8 anos
Coleção: 
 


ATIVIDADES SUGERIDAS

 

Quando a gente nunca foi a um lugar muito diferente, quem nunca provou uma comida, quem nunca entrou numa caverna, fica tomado de surpresa e, quase sempre, de encantamento, quando isso acontece pela primeira vez. Assim foi com Nair, com apenas cinco anos, em uma cidade do interior, quando teve contato com o circo. Surpresa, magia, coração batendo mais forte, um olhar de espanto e um sorriso nos lábios. E, para sempre, uma impressão agradável marcada em seu coração! Que a gente nunca perca a capacidade de surpreender e de ser surpreendido!
 

Temas abordados: emoção da primeira vez no circo, magia de um espetáculo circense.

 

- A menina Nair da história relembra a primeira vez que foi ao circo. Converse com os alunos sobre viver uma experiência pela primeira vez.

- Quando ouvimos falar em circo, logo pensamos em diversão e alegria. Converse com a turma e veja quem já foi a um circo ou já assistiu pela televisão.

- O encanto e a magia do circo tem a capacidade de nos levar para um mundo fora da realidade, um mundo além da nossa imaginação. O circo traz consigo a felicidade. Quem nunca riu ao assistir a uma apresentação?

- Quais os números apresentados no circo que mais chamam a sua atenção?

- Converse com os alunos sobre as profissões circenses.

-  Como deve ser a vida de quem nasce e cresce no circo?

- Será que crianças e jovens de circo têm a oportunidade de frequentar a escola? Peça para que os alunos justifiquem suas respostas.

- Apesar da vida no circo não ser fácil, mudanças constantes de cidades poderiam ser um motivo para que muitas das crianças nascidas ali não fossem para a escola. Mas isso não é um obstáculo. Apesar de passarem por escolas diferentes durante o ano, muitos não deixam de frequentá-la. Um bom exemplo para quem tem a escola perto de casa e muitas vezes não a frequenta como deveria ser.

- O palhaço ao mesmo tempo que é ingênuo é esperto. Personagem carismático e bondoso, veste roupas diferentes e usa maquiagem que causam verdadeiras transformações em seu rosto. O que você acha dos palhaços? Liste nomes de palhaços famosos.

- Sabia que 27 de março é o dia do circo?

- Circo também se aprende na escola! Antigamente, as artes circenses eram passadas de pai para filho. Nos dias de hoje, no entanto, também é possível aprendê-las na escola. A primeira escola de circo surgiu no Rio de Janeiro, em 1982. Chama-se Escola Nacional de Circo e fica na Praça da Bandeira. Neste lugar, jovens aprendem diversas técnicas circenses. Quando formados, criam grupos e passam a se apresentar ao público.

- Entenda o significado de algumas palavras usadas no mundo mágico do circo:

Báscula: um tipo de gangorra que os acrobatas usam para saltar.

Catarina: boneca de pano que fica presa às mãos e ao corpo do palhaço. Pode ser chamada de Florentina.

Charanga: banda que acompanha a apresentação.

Gambiarra: são luzes colocadas acima do palco, fora do campo de visão dos espectadores.

Mambembe: grupo de teatro que viaja para apresentar o seu show.

Número: cada uma das apresentações dos artistas de circo.

Pantomima: apresentação de uma história só com expressões corporais e gestos, sem fala.

Picadeiro: área circular do circo, onde os artistas fazem suas apresentações.

Poleiro: lugar mais alto e mais barato da arquibancada.

Ribalta: luzes que iluminam a frente do palco.

Rotunda: pano de fundo usado no palco.

Saltimbanco: artistas viajantes da Idade Média que se apresentavam em feiras.

Trupe: grupo de artistas.

Volante: artista que voa de um trapézio para o outro.

- Cândido Portinari é um pintor brasileiro que nasceu em Brodósqui, interior de São Paulo, em 1903. Quando o circo chegava a sua cidade, ela ficava muito alegre e movimentada. Deve ser por isso que Portinari se inspirou, por diversas vezes, na arte circense para pintar seus quadros. “Sentia-me feliz quando chegava um circo (...) O tempo deixava pequena lembrança até a chegada de outro circo.” (Cândido Portinari). Possibilite que as crianças observem alguns quadros de Portinari.

- Vamos brincar de malabarista? Confeccione com seus alunos bolinhas para praticar:

- 6 bexigas

- 300g de painço (comida de periquito)

- 1 saco ou sacola plástica

Veja como confeccionar a bolinha:

1. Corte 3 pedaços redondos de plástico.

2. Coloque aproximadamente 100g de painço sobre o plástico.

3. Faça uma trouxinha.

4. Corte duas bexigas na altura do gargalo e coloque a trouxinha dentro. Primeiro uma bexiga, depois a outra.

5. Faça o mesmo com o restante do material e utilize sua criatividade para enfeitar as bolinhas.

 

LIVROS QUE PODEM AUXILIAR SEU TRABALHO, PROFESSOR:

- GARCEZ, Lucília. A primeira vez que vi o mar. Franco Editora.
- ROSCOE, Alessandra. A primeira vez numa noite do pijama. Franco Editora.
- BORGES, Iris. Mágicos, malabaristas e trapezistas. Franco Editora.
• Prazo para postagem:
Veja também