Mãos tagarelas bocas sorridentes

Preço sob consulta
. Comprar  
Autor: Jonas Ribeiro
Ilustradora: Everly Giller

 
ISBN: 978-85-88600-56-0
Nº páginas: 16
Formato: 17x25 cm
Idade: 7 a 9 anos
Coleção: 

 

ATIVIDADES SUGERIDAS

 

 Mais do que fazer uma abordagem social da inclusão, Mãos tagarelas bocas sorridentes destaca a felicidade que todo surdo tem em viver e em comunicar-se por meio de sinais.
 

Temas abordados: surdez, ética, solidariedade, pluralidade cultural, diferenças sociais.
 

- Discutir com os alunos a questão das diferenças e a importância de conhecer as deficiências para não discriminar.

- Trabalhar com os órgãos dos sentidos.

- Quais as funções dos órgãos do corpo humano? Será que as mãos podem ser usadas para falar também?

- Fazer os alunos refletirem sobre o porquê e para que usamos os sons na nossa vida.

- Solicitar que o aluno traduza diferentes sons através do corpo e principalmente das mãos (ex. como faria uma gargalhada com a mão, sem som?)

- Pedir que os alunos contem a história do livro sem usar a oralidade, somente com dramatização, mímica.

- Pedir que os alunos percebam e escutem os sons do mundo (do ambiente e do próprio corpo) e depois representem os mesmos através de desenhos.

- Apresentar e trabalhar com textos que usam representação gráfica do som (Pum! para um soco; há! há! para gargalhada).

- Propor uma discussão sobre a utilização do som no dia a dia.

- Fazer os alunos refletirem e discutirem sobre as diferentes formas de comunicação.

- Conversar com os alunos sobre as diferentes línguas de sinais existentes no mundo.

- Propor que os alunos descubram o significado dos sinais que aparecem no livro.

- Propor uma pesquisa sobre o mundo dos surdos (língua, tecnologias etc.).

- Solicitar que os alunos pesquisem os recursos tecnológicos que existem para auxiliar o surdo (TDD – telefone próprio para surdos com visor e outros).

- Assistir a um desenho ou a um filme sem o som e ver como se sentem e o que entendem.

- Descobrir qual a “música” da sua família.

- Propor uma discussão sobre o porquê de surdo não ser mudo (pode aprender a falar oralmente, um trabalho fonoaudiológico longo e intenso e pode falar com as mãos).

- Discutir sobre a linguagem visual (placas de trânsito, ícones de computador etc.).

- Apresentar o símbolo mundial da surdez e outros símbolos de identificação.

- Propor um trabalho de troca de correspondências ou e-mails com um grupo de surdos.

- Pesquisar as causas da surdez.

- Por que “o gato e os vizinhos não conseguem sentir esta música bonita e deliciosa”?

- Fazer uma pesquisa sobre surdos famosos (Beethoven), surdos da família real, etc.

- E se você fosse surdo, como seria o seu mundo?

- Pesquisar sobre cães que são treinados para auxiliar surdos (por exemplo, avisar que a campainha tocou).

- Pesquisar sobre a vida de Hellen Keller (surda-cega).

 

 

 

TEXTOS QUE PODEM AUXILIAR SEU TRABALHO, PROFESSOR:

- WRIGHT, Betty Ren. Minha irmã é diferente. Tradução e adaptação de Fernanda Lopes de Almeida. Editora Ática.
- ROCHA, Rosângela Vieira. A festa de Tati. Franco Editora.

 

 

Sinais que aparecem no livro:

-          Capa –   amigo (mão direita) e eu te amo (mão esquerda)

-          Página 1 –  aplausos

-          Página 3 –  coração, oi, eu te amo

-          Página 4 –  amigo (mão direita) e eu te amo (mão esquerda)

-          Página 5 –  aplausos

-          Página 6 –  oi (Maria), eu te amo (José)

-          Página 7 –  oi

-          Página 13 – Felicidade (Maria), Língua de sinais (José), Paz (pai) e coração (mãe)

-          Página 14 – coração, letra y, letra a, letra d, letra i, letra l

-          Página 15 – letra k, letra w, oi, eu te amo, letra f.

Veja também